Rotas: Do Douro vinhateiro

Sou tão obcecado em conhecer o mundo que me apercebi que ainda não conhecia devidamente a beleza "zipada" no nosso pequeno paraíso. Por isso decidi fazer malas e descobri-la.


Não foi a primeira vez que "contornei" o Douro, fi-lo várias vezes em miúdo e outras em trabalho, mas desta vez decidi ser eu próprio a fazer o roteiro, por isso partimos diretamente para o Peso da Régua onde nunca me canso de ver as escarpas do Douro esculpidas propositadamente para o cultivo das vinhas que mais tarde vão dar origem ao tão afamado vinho do Porto e do Douro. É óbvio para quem está lá que nunca se conhece o Norte de Portugal através de um blog, fotografias ou ditos. É preciso estar lá e sentir o ambiente. Durante este percurso tortuoso passamos por inúmeras vinhas, umas reconhecidas como é o caso da Quinta do Vallado, outras nem tanto como é o caso das imagens que verão abaixo:

Quinta da Capela
Quinta da Capela
Quinta dos Mattos ou Quinta da Costa
Quinta dos Mattos ou Quinta da Costa
Murças
Murças

O Douro é isto. Uma simplicidade complexa de natureza, gastronomia e rio. No entanto não foi aqui que planeei ficar alojado. Planeamos algo arrojado e diferente da hotelaria à qual me habituei - Um Albergue, o de Afonsim, Vila Pouca de Aguiar para ser mais concreto.

 

Como funcionam os Albergues em Vila Pouca de Aguiar?

De forma bastante simples na verdade. Existe este website generalizado que possibilita uma reserva gratuita seja com a duração que for. A reserva é feita por telefone e quem atende do outro lado da linha, se escolherem o albergue de Afonsim, é a Dª Maria. Uma senhora da terra que garante que tudo está funcional no alojamento. Extremamente simpática e prestável garantiu a nossa sobrevivência ao colocar dois aquecedores num dos quartos até à nossa chegada, o que caso contrário se revelaria desconfortável pois era Janeiro e o frio fazia-se sentir sem tréguas. No final da estadia o utilizador deve deixar tudo conforme encontrou como forma de retribuir as boas vindas e claro, uma marca inegável para se viver numa sociedade. Também está implícito que se deve deixar 5€ para despesas de manutenção (embora não seja obrigatório), basicamente uma gorjeta pela amabilidade.


Esta amabilidade foi posta à prova no final da estadia, quando a bateria do nosso Ford Escort decidiu não pegar, foi então que o marido da Dª Maria nos ajudou com os cabos.


Afinal de contas, qual é o estado do alojamento?

Soberbo!

Deparamos-nos com uma antiga escola, remodelada e em perfeitas condições (com fundos do QREN), com uma cozinha totalmente equipada e moderna capaz de satisfazer qualquer turista esfomeado e com capacidades culinárias acima da média. Btw, o nosso jantar foi strogonoff, confeccionado com ingredientes que compramos na estação de serviço ali perto.

As redondezas são doutro mundo, como levei equipamento de corrida decidi fazer exercício logo na manhã seguinte e entrei pela natureza adentro, por vilas erguidas em pedra e aldeias abandonadas. O tempo era típico de inverno no interior. Um misto de azul e cinzento misturavam-se no céu como que tentando confundir o mais hábil analista da meteorologia sobre o tempo do dia e chuviscava. Cruzei-me com gado. Cavalos, burros, vacas, ovelhas, cabras, cães rafeiros, cães de guarda, raposas. Fui cumprimentado pelo camponês, pela velhota à janela e pelo tratador do rebanho. Saltei muros, subi a serra, pisei poças e estrume. Mas principalmente respirei o ar puro.

Voltando ao alojamento, recomendo banhos rápidos, pelo que a água quente do cilindro tem pouca duração e tomar banho de água fria naquele clima pode ser insuportável para alguns. Foi o que me aconteceu.

 

Deixo em baixo algumas fotografias do Albergue.

 

[Sala de convívio e cozinha]Albergue de Afonsim - Vila Pouca de Aguiar
[Sala de convívio e cozinha]Albergue de Afonsim - Vila Pouca de Aguiar
[Sala de estar] ]Albergue de Afonsim - Vila Pouca de Aguiar
[Sala de estar] ]Albergue de Afonsim - Vila Pouca de Aguiar
[Sala de convívio e cozinha]Albergue de Afonsim - Vila Pouca de Aguiar
[Sala de convívio e cozinha]Albergue de Afonsim - Vila Pouca de Aguiar

Vista através da entrada do Albergue
Vista através da entrada do Albergue

Dica #1: Escreve no livro de visitas. Os outros viajantes vão gostar de ler sobre a tua experiência.

Dica #2: Leva lenha, principalmente durante o outono ou inverno, é coisa que não vais ter lá à tua espera.

Dica #3: Leva uma refeição planeada, inclusive os temperos, pois é outra coisa que não vais ter lá à tua espera.

E sobre a gastronomia?

A gastronomia é a melhor do mundo. Qual cozinha Francesa qual quê. 

Como decidi seguir a sugestão do meu sócio que conhece bem a zona fomos ao Miradouro de São Leonardo da Galafura, a meio caminho entre a Régua e Vila Real, que oferece um dos mais espantosos panoramas sobre o rio Douro. Aparentemente foi por este local que Miguel Torga se apaixonou.


Vista do restaurante São Leonardo
Vista do restaurante São Leonardo
Frango da região com arroz de feijão da horta e batatas fritas.
Frango da região com arroz de feijão da horta e batatas fritas.
vinhos. 100 hectares e Tia Piá
vinhos. 100 hectares e Tia Piá

Links úteis

Tripadvisor

Para planear a viagem relativamente a alojamento ou restauração.

Albergues de Vila Pouca de Aguiar

Para escolher alojamento em Vila Pouca de Aguiar

Google maps

Para planear a viagem relativamente ao melhor percurso

Restaurante São Leonardo

Para almoçar ou jantar (recomendado)


Deixo a seguir outras fotografias que tirei durante esta viagem de dois dias:


Custo total da viagem - 2pax - 2 dias

Combustível: 20€ (gasóleo)

Alimentação: 50€

Alojamento: 15€

Recordações: 10€


Custo total: 95€


Write a comment

Comments: 1
  • #1

    yasmin SAIDI (Saturday, 18 April 2015 16:59)

    Estas de Parabens Dario pela iniciativa de nos mostrar um pouco mais do tao grande lindo maravilhoso que e Portugal o nosso País. Deste me saudades e muita vontade de fazer o mesmo itenerario e ate pelo valor que nos deste a conhecer que ajuda bastante para avaliar gastos.
    Obrigada
    E continua a fazer novos passeios para nos dar a conhecer mais.